AmorAmor, Gravidez & Maternidade, Nascendo, Semente

Parto Humanizado

PARTO HUMANIZADO é um parto que você passa por ele sorrindo, pq tudo que traz vida, traz alegria. Na foto eu sorrindo, agradecendo pelas 18hrs de parto vividos e que foram lindos, vendo minha médica ser humana e se colocar na posição de coadjuvante, observadora, partejando comigo cheia de amor. Minha doula-guardiã-mãe atras apoiando minha decisão, um ciclo de mulheres fortes completada pelo meu marido fotografo…..e só! Só nós 4 amando e esperando um quinto elemento que estava chegando: José Leite💙
Depois tudo mudou, mas e dai?!? Eu ainda estava lá decidindo tudo.
Não! Eu não tive o parto que sonhei, mas eu tive o parto que escolhi, o parto que meu filho escolheu.

Parto humanizado é ter sua escolha, a sua vontade e acima de TUDO a sua voz RESPEITADA! É ser autora do seu momento e não vítima de um médico controlador que quer ter domínio do processo porque afinal de contas ele é “médico e ele sabe mais que você” (ninguém sabe mais da gente do que nos mesmo, nenhuma faculdade de medicina dá esse poder ao homem). É ter conhecimento de tudo que poderá acontecer para ter a liberdade e a tranquilidade de decidir o que é melhor para vc, principalmente nos momentos críticos (conhecimento gera liberdade e tranquilidade).

Parto Humanizado é separar conceitos e saber que “DOR” é diferente de “sofrimento”, é ter nas suas mãos o conhecimento e consentimento de tudo que está acontecendo. É tirar o peso das opiniões alheias das costas, das suas próprias costas. É viver! Todas as vezes que deixamos alguém controlar nossas vidas e vontades entramos em colapso emocional!

Por isso para mim parto humanizado é uma teia de conexões humanas profundas onde o médico respeita a doula que respeita o marido e a mulher que se alto respeita e por consequência respeita o seu bebê que respeita à natureza. Por isso eu defendo que toda mulher deve escolher ter um parto humanizado, seja ele normal, cesárea ou natural. Não se engane, parto humanizado não é ter filho na banheira, parto humanizado é parir uma onda de humanidade!

Parir é normal!

Beijos Humanizados

Olivia

Advertisements
Standard
Gravidez & Maternidade, LookDoDia

Cintura de Grávida

Ou mais conhecida como cintura império que é essa que começa logo abaixo dos seios e que deixa a barriga confortável e ao mesmo tempo mostra uma coisa que toda grávida tem de bonito: O peitão!
Apesar de achar lindo, confesso que não usei muito na minha gravidez esse tipo de cintura, mas aos nove meses e meio fui a um casamento e usei um vestido ideal para usar esse tipo de cintura. Usei esse vestido no aniversário de 60 anos da minha madrinha aos 6 meses, mas fotografei aos nove meses porque a barriga estava mais evidente.

Vestido: Aliexpress| Cinto: 25 de março antigo| Brinco: Unique Acessórios

Beijos Barrigudos

Olivia

Standard
Gravidez & Maternidade

Sonar Portátil Para Gestação

Sem dúvidas uma das coisas mais legais que eu adquiri na minha gravidez foi o sonar portátil ou monitor cardíaco fetal. Ele nada mais é que um aparelinho que possibilita você a escutar o coração do bebê quantas vezes quiser, na hora que quiser. A principio eu queria um modelo importado chamado Shell da marca Bellabeat que você acopla no seu smartphone e escuta a hora que quiser, mas ele estava esgotado quando fui para Miami fazer o enxoval, então resolvi comprar uma versão brasileira que é super bacana também.
O funcionamento dele é bem simples, você aplica gel transmissor na barriga e vai deslizando o aparelho até encontrar o coração. Você irá ouvir vários ruídos e barulhos internos (aquela história que dentro da barriga é tudo calmo constatei que é mito, lá dentro é turbilhão de sons hahaha), mas quando encontrar o coração é emoção pura,
você saberá na hora que é seu bebê pulsando vida dentro de você. Confesso, é viciante! Para as gravidinhas de plantão fica a dica, ele não custa tão caro e é uma delicia. Vale a pena comprar.

O modelo que eu comprei você acha fácil em vários sites, só pesquisar “monitor’ ou “detector- doppler” cardíaco fetal. Existe vários modelos, alguns são mais sofisticados mostrando até mesmo a frequência de batimentos cardíacos (por isso são mais caros) e outros mais simples e baratos, o meu aparelho custou 120 reais, mas só dá para ouvir.Para a próxima gestação vou comprar o modelo importado Bellabeat.

Esse é o meu sonar, ele é simples, mas a emoção é mesma. Ele já vem com um gel, fones de ouvido e um cabo para caso queira ligar em uma ciaxa de som ou ainda gravar o coração do bebê.

Beijos Barrigudos

Olivia

Standard
AmorAmor, Gravidez & Maternidade

Chá de Benção

Chá de benção, diferente de um “chá de bebê” onde o instuito é confraternizar, comemorar e presentear a gestante com bens matérias na maioria dos casos (fraldas, itens de enxoval, etc…), o chá de benção visa presentear a gestante com coisas que realmente não tem preço! Coisas realmente valiosa, coisas que para mim acima de tudo são sagradas pois vem de corações que me amam e que estão conectadas comigo! Basicamente um chá de benção pode ser visto como um ritual de boas vindas e desejos sinceros de “bom parto”, mas quando é verdadeiro vai além! Serve para nos conectar ao nosso sagrado feminino, a herança Divina que Deus nos deu de sermos fortes, guerreiras e destemidas! De fortalecer a vida uma das outras e a nossa própria vida através de um elo bom, perfeito, agradável e desenhado por Deus para toda a humanidade. Uma humanidade que deveria viver relacionamentos saudáveis de amor e compreensão com o próximo!
Eu não quis chá de bebê, nem de fraldas porque não senti vontade de fazer, além do mais eu ganhei de surpresa um lindo chá de bebê aos 6 meses de gestação na casa da minha madrinha em Junho quando fui para celebrar o aniversario dela, então achei desnecessário fazer outro chá (de fraldas por exemplo), uma vez que José irá usar fraldas de pano e o enxoval já estava pronto desde os 5 meses. Mas ameiiiii demais meu chá de benção, foi um dos momentos mais especiais da minha gestação. Um momento poderoso e muito lindo! Serei eternamente grata!

Mas como é que funciona???
Apesar do nome, o Chá de Bênçãos não é um evento religioso. Mas o meu acabou direcionado para esse caminho porque somos ligadas religiosamente, mas não é obrigatório. O essencial é que a futura mãe se reúna com outras mulheres de seu círculo familiar e de amizade para se fortalecer, receber incentivo, apoio e carinho para essa etapa final, como se estivesse na última etapa da subida de uma montanha. Em alguns lugares, apenas mulheres participam e muitas vezes a iniciativa de organizar tudo parte da própria doula, como forma de reforçar o vínculo com a gestante. Mas tudo depende de como a grávida vai se sentir mais à vontade. No meu caso fomos apenas mulheres, mas meu marido participou de grande parte e quem organizou foram minha amigas junto com minha doula e mãe (para quem não sabe, a minha doula é a minha mãe, que é doula mesmo de formação, mas isso vou deixar para outro post).

Conforme a hora do parto se aproxima, é normal que a grávida fique ansiosa, com medo e até duvide de sua capacidade de colocar uma nova vida no mundo.-Eu estou super calma, minha GO até reclama da minha calmaria, mas as pessoas a minha volta estão super ansiosas, dá para sentir.- Então como forma de fortalecer e acolher as gestantes nesse momento que antecede a chegada do bebê, muitas delas têm recebido o Chá de Bênçãos, uma celebração que surgiu entre círculos de mulheres, como forma de apoiar aquelas que estavam se preparando para um parto normal. Quando as 40 semanas se aproximam, a maioria das mulheres começam a se perguntar se seu corpo vai dar conta ou não, se serão capazes de realizar o parto que sonham e também surge uma pressão externa, da família, do marido, eu tenho pensado muito nisso, mas sempre que esse pensamento vem tento pensar positivo que vai dar tudo certo, e meu chá de benção serviu muito para isso. Isso não quer dizer que aquelas que optaram pela cesárea não podem celebrar, você sempre pode adaptar.

O Chá de Bênçãos costuma ser realizado a partir da 37ª semana de gestação, já perto do parto, e não tem uma estrutura fixa. Ainda assim, alguns rituais costumam se repetir. O encontro geralmente começa com a preparação de um escalda-pés para grávida, ou uma massagem ( aquecer os pés é como aquecer os órgãos internos, principalmente o útero o que pode ate estimular as contrações). Algumas mulheres fazem coroas de flores para a grávida enquanto proferem seus desejos. Também há aquelas que gostam de pintar a barriga com o desenho de um bebê no útero: é o chamado “ultrassom de parteira”. Depois as pessoas convidadas passam a expressar seus desejos para a mãe e o bebê. Pode ser coragem, fé, confiança, alegria, luz. Esse momento pode ser construído em forma de uma pulseira da amizade que vamos fazendo juntas ou ainda sendo escritas em pequenos pedaços de papeis com mensagens de incentivo para a mãe que poderá ler quando entrar em trabalho de parto. O importante é que haja uma recordação material do momento, que poderá dar força à mãe na hora do parto.

Fonte de pesquisa: Site Crescer

Beijos Abençoados

Olivia

Standard
Gravidez & Maternidade

Biblioteca da Mamãe

Atendendo a pedidos de muitas mamães que converso nas redes sociais, resolvi fazer esse post sobre os livros que tenho lido na gestação. Ja havia pensado em fazer esse post, mas queria deixar para publicar depois de passar pela experiência com o José , mas como muita gente tem pedido já vou publicar agora, quem sabe no futuro role outro post contando como foi a aplicação deles na criação e cuidados com o José.
Existem muito livros, muitas técnicas milagrosas de criação de filhos, muitas indicações, mas vou me ater a indicar somente os que eu li e que gostei. Lembrando que antes mesmo de engravidar em já acredita na primícias de que filho não precisa de receita de bolo, filho necessita de empatia. Já desde pequeno ele é único e nenhum outro bebê será como ele (assim como você não será como nenhuma outra mãe). E eu já vejo isso como um presente e não um fardo caso meu filho não venha a se adequar aos parâmetros e resultados dos livros ou aos parâmetros de outras crianças na mesma idade dele. No entanto todos esses livros valem a leitura SIM! Principalmente porque conhecimento nunca é demais e porque é bom ter alternativas e ler experiências de outras mulheres para lidar com seu pequeno e singular ser humaninho. Nem tudo que serve perfeitamente para alguém, servira para outros, por isso os livros abaixo tem fã e tem odiadores. Eu por exemplo amei 2 livros que são em si super controversos em suas “metodologias” de criação, mas e qual é o problema disso?? É sempre bom saber tudo e escolher o que foi melhor para você e sua família, não é mesmo?? Conhecimento gera poder, poder gera opção de escolha e mais maturidade, tranquilidade e responsabilidade ao escolher .

Comprei o livro “Crianças francesas não fazem manha” e ameiii ❤ . Agora ela lançou esse livro que é um resumão do primeiro com algumas coisas novas. Eu indico ambos de olhos fechados, são muito legais e pode tirar varias duvidas e ainda te introduzir em uma outra cultura de criação de filhos de fascinam o mundo, os franceses. Eu amei e já presentei varias mamães com esse e com o outro livro.

Comprei e li esse livro em 2013 e ameiiii. Na época nem era casada, mas me apaixonei! Dei de presente para várias amigas gravidinhas. ❤

A Shantala é uma massagem milenar indiana, sem registro de quando surgiu exatamente em Kerala no Sul da Índia. Foi descoberta quando o médico francês Frédérick Leboyer, de passagem pela Índia, se deparou com a cena de uma mulher num calçada pública massageando seu bebê. Seu nome era Shantala, ela era paraplégica e estava numa associação de caridade em Pilkhana, Calcutá.
O ambiente que Leboyer percorrera até então era completamente hostil, mas a cena da massagem fez com que a beleza e harmonia dos movimentos de Shantala transformasse tudo a sua volta.
Leboyer pediu para fotografá-la e filmá-la. Ela, admirada pelo interesse em uma prática tão simples e corriqueira, aceitou. Durante dias ele acompanhou a massagem de Shantala em seu bebê, captando atentamente cada movimento. Leboyer fez o possível para que as fotografias exprimissem a profundidade e o amor envolvidos. Em homenagem a essa mãe, o nome da técnica de massagem em bebês chama-se Shantala. Na índia, essa prática não tem um nome específico, pois trata-se de uma atividade que faz parte da rotina de cuidados com o bebê.
Graças à “descoberta” de Leboyer, e ao seu livro: SHANTALA, massagem para bebês: uma arte tradicional, Shantala vem sendo cada vez mais popular em todo o mundo e cresce a cada dia o número de pesquisas científicas que objetivam comprovar seus benefícios.
Mas há um aspecto que transpõe as pesquisas científicas e suas comprovações: A relação Mãe-Filho/Pai-Filho. Foi esse encantamento, a relação, interação e vinculação que encantou Leboyer e que no Ocidente vem a ser uma forma dos pais apronfudarem o vínculo afetivo com seus bebês.
Shantala traduz um momento especial oferecendo a oportunidade dos pais terem um contato mais prolongado com o bebê. O toque carinhoso é a melhor forma dos pais se aproximarem do bebê após um dia de trabalho, transmitindo amor e carinho através das mãos. Esse contato ajudará muito os pais a conhecerem o corpo do seu bebê e como se comunicam, isso é muito importante e ajudará em muito nos dias difíceis da criança (Denise Gurgel, 2009). Fonte de pesquisa: WIKIPEDIA

Para quem quer começar a praticar e para quem já praticava como eu. Super simples, completo e explicativo.

Obra bem escrita da psicologa Elizabeth traz uma luz de como resgatar a natureza infantil e criar filhos fortes, criativos e acima de tudo um cidadão equilibrado. VALE MUITOOO A PENA!!

Um livros os livros mais polêmicos e muito rebatido na internet por seu método rígido de estabelecer rotina e disciplina, entrou no hall dos meus favoritos junto com o livro a seguir “A Maternidade”. Eles são antagônicos em todos os sentidos e creio que foi em parte por isso que ambos me fascinaram. VALE A COMPRA MESMOOOO! Só não vale querer encaixar seu filho nos parâmetros dela e nem da Laura. Use com sabedoria e parcimônia sem entrar em neurose.

Pensei 300 milhões de vezes antes de postar esse livro pois definitivamente ele não é um livro para qualquer mãe ler. Ele é forte e vai atingir a obscuridade de sua alma. No meu caso, colocar minha sombra na luz trouxe um clareamento de sentido materno imenso, me encontrei, descobri que já era mãe muito mesmo antes de ser, mas sempre ouvi que só sendo mãe para saber. Que bom que pude ter o privilegio de me tornar mãe para experimentar toda a verdade que já habitavam em mim, e agora sem precisar ouvir fatídica frase: você não é mãe por isso não entende.

Os livros abaixo são da minha mãe que também é minha doula e me fascinaram bastante.

Técnica mexicana para auxilar no antes e durante o parto. Na utilização de um pano é possível aliviar vários desconforto do parto.

Um dos livros mais bacanas sobre comunicação com bebes. Me abriu a mente para os desafios da fala, desenvolvimento cognitivo e como tudo isso influencia no temperamento do seu filho até que ele comece a falar.

Manual bacana para quem gosta de estimulação de bebes. Lindo!

Li esse livro para entender mais sobre o períneo, o “melhor amigo” do parto. rsrsrrs

Outro ponto importante, eu além dos livros, estou indicando 2 dvds e 2 videos no youtube sobre parto, assisti milhares de videos, mas esses 4 foram cruciais em meu aprendizado. Se quiserem saber quais os livros que eu li sobre parto comentem aqui ou me mandem mensagem que eu faço um novo post, porque são muitos. Eu acredito muito na ideia de um parto humanizado, mas nessa minha caminhada sobre o conhecimento do parto eu descobri que PARTO HUMANIZADO é acima de tudo respeitar a vontade da mulher, desde que essa mulher tenha liberdade de escolha com conhecimento. Se a mulher tem consciência de todos os agravantes de um parto cirúrgico  e mesmo assim desejar ter um parto cesária é direito dela, ponto final. Violência é a falta de informação, é a denominação do parto natural e a imposição de terceiros na escolha da mulher na forma como parir. Uma mulher que deseja ter uma parto cesária apesar de todas as implicações e é obrigada ou induzida a ter um parto normal é tão violentada quanto uma mulher que deseja parto normal ou natural e é induzida a uma cesária.

Revelador, explicativo, cativante. Daqueles documentários que toda uma sociedade deveria ver, desde criança. Sem palavras para dizer sobre ele. ❤ TEM QUE VER!!!

Tenho muito orgulho de ter participado do patrocínio coletivo desse documentário. Ele é um trabalho lindo que merece sempre ser divulgado, emociante. Para quem deseja ter um parto domiciliar esse filme tem que entrar na lista do “must see”.

E ai gostaram?? Já leram algum deles??
Só mais uma dica: Se você ainda está grávida não deixe para ler quando seu bebê nascer. Leia antes! dai você já “nasce” uma mamãe “sabida” das coisas. Se já é mãe de um pequeno ou pequena corre pra ler, quem sabe aquela angustia dos últimos dias não tenha o começo das soluções nas entrelinhas de uma dessas obras.

Beijos Maternos

Olivia

Standard
Gravidez & Maternidade, LookDoDia

Salto Alto na Gravidez

Assunto polêmico por aqui: Salto Alto na gravidez. Pode usar? Não pode? Quais os riscos? Os especialistas se dividem em relação ao uso de sapatos de salto alto na gravidez. Todos, no entanto, concordam que o uso do salto alto modifica sua postura e altera seu centro de gravidade, colocando mais pressão sobre a região lombar da coluna, já bastante vulnerável na gestação. A minha médica me liberou o uso desde que eu tomasse mais cuidado ao andar (para evitar quedas) e me orientou a parar de usar assim que minha coluna começasse a doer, porém esse dia nunca chegou (Thanks God!). Assim eu usei meus amados saltos até os 9 meses, agora no finalzinho que meus pés estão mais inchados, ando por optar por uma rasteirinha ou um tênis na maioria dos dias, mas levo muita “bronca” por ai quando resolvo subir no salto rsrsrs. As pessoas se sentem no direito de te dar ordens nesse período, mas eu tento levar com leveza, sempre digo que “nem as grávidas podem perder o glamour”. Claro que acabei dando preferencia para os sapatos de salto plataforma que são mais confortáveis para andar, mas vale lembrar que eles têm o mesmo risco de queda: eles tornam muito mais fácil virar o pé, principalmente quando o piso é irregular (como calçadas com buracos ou piso de paralelepípedos), então tem que ter cuidado redobrado e sempre se lembrar que o importante é estar confortável.
Ate mesmo os médicos que não veem problemas no uso do salto recomendam que você tome a decisão baseada no seu conforto. Eu sou daquelas que me sinto super desconfortável de salto baixo, no final do dia a pressão sobre o meu calcanhar parece ser maior, provavelmente porque já estou muito habituada ao uso de salto, então algumas dicas são: Você pode, por exemplo, levar um par de tênis ou sapatos baixos na bolsa e calçá-los depois do trabalho (ou no fim da festa). Ou passar para os modelos sem salto a partir das 25 semanas de gestação. Ou ainda abrir mão do salto para fazer as tarefas do dia a dia e só usá-lo em ocasiões especiais…
IMPORTANTE!!! não podemos esquecer que um dos efeitos da gravidez é fazer seus pés aumentarem. Além de correr o risco de ficar com bolhas nos pés, você pode acabar laceando demais seu sapato favorito, que pode acabar ficando largo demais para você usar depois da gravidez. Então os meus sapatos mais queridinhos estão de férias rsrsr.

Então eu acredito que para resumir o importante é: ter a liberação do médico para o uso, não sentir dores e sempre prezar pelo conforto. E ser feliz, até mesmo na gestação, essa fase de tantas mudanças e descobertas na nossa vida.

Beijos Barrigudos e de Salto Alto

Olivia

Standard
Gravidez & Maternidade, LookDoDia

O mais querido da Gravidez

Um dos fatores de não ter rolado muitos post de look aqui durante minha gestação (além da preguiça e enjoo de tirar fotos) é o fato de eu ter usado muito um look só, e hoje eu trago ele para vocês. De todas as minhas roupas a que eu mais usei sem duvidas foi essa, a tee já está super desgastada de tanto lavar rsrsrs. Já falei sobre o colete ser amigo das grávidas, mas esse colete em si foi o mais especial ❤ . Eu como não tinha hábito de usar colete, esperei até agosto de 2016 e comprei o meu numa promoção da ZARA em Orlando, só porque estava na moda mesmo (confesso!!!!). Nem imaginava que seria uma compra maravilhosa, pois usei e ainda estou usando muito, muito mesmo. Ele é um colete com corte de alfaiataria que é um charme. Combina com 90% das minhas roupas além de dar um toque elegante a qualquer produção.

Colete:Zara |Tee: Iorane| Saia e Sandalia:Renner| Bolsa: Givenchy

Beijos Barrigudos

Olivia

Standard