AmorAmor, Refletindo, Semente, Ser Sustentável

Mais sobre empatia

Mudando um pouco minha visão sobre certas lições cotidianas, quero compartilhar aqui, porque mudar é bom, mudança com metanóia então é libertador. Nesses útlimos tempos tenho refletido (e lido muito, buscado muitas referencias) em relação a empatia, esse sentimento desafiador. Já falei sobre o assunto no começo do mês, e para encerrar o mês quero deixar mais um aprendizado. Na busca por conhecimento me deparei com esse texto realista e vital do Alex Castro, onde ele mostra um estágio mais elevado da empatia. Eu concordo com ele (por isso estou postando a ideia dela aqui), porém continuo acreditando que “tratar as pessoas como gostariamos de ser tratados” é um lugar de pertencimento que todos precisamos habitar, PORQUE quando fazemos isso, no fundo estamos fazendo um exercicio de auto conheimento vital. Muitas pessoas nem ao menos sabem dizer como é que elas mesmas gostariam de ser tratadas, então usar a empatia já cria um caminho para o Eu (que pode até ser egoísta) mas que abre os horizontes para você mesmo e posteriormente poderá abrir o horizonte para o outro de uma forma mais intensa e profunda de sentir o outro, como o Alex propõe. Creio que vale a leitura, mas principalmente a reflexão.

Trate as pessoas como gostaria de ser tratada

Poucos conselhos podem ser mais egocêntricos e narcisistas do que esse.
Não é verdade que devemos tratar as pessoas com gostaríamos de ser tratadas.
Porque a outra pessoa é uma outra pessoa. Porque ela teve outra vida, outras experiências. Porque ela tem outros traumas, outras necessidades.
Basicamente, porque ela não sou eu. Porque eu não sou, nem nunca vou ser, nem devo ser, a medida das coisas.

255732_10150264823128179_5196655_n

Utilizar a mim mesmo, minhas vontades e necessidades, o jeito que quero ser tratado, como se eu fosse o parâmetro para todas as outras pessoas é a essência do narcisismo e do egocentrismo. É o exato oposto de empatia.
A outra pessoa deve ser tratada não como eu gostaria de ser tratado, mas como ela merece e precisa ser tratada.

E como vamos saber como essa tal outra pessoa merece e precisa ser tratada?
O primeiro passo é sair de mim mesmo e deixar de me usar como parâmetro normativo do comportamento humano. Essa é a parte fácil.
Depois, preciso abrir os olhos e os ouvidos e o corpo inteiro, e reconhecer que existem outras pessoas no mundo, e que elas são todas bem diferentes de mim.
E que o único jeito de perceber o quão diferentes elas são é enxergando-as, escutando-as, conhecendo-as.
Com atenção plena e empatia verdadeira.

* * *

179634_10150135303928179_6990162_n

Reconhecer nossa ignorância e abrir nossos ouvidos

Para praticar a empatia, é preciso antes reconhecer que não sabemos nada.
Que a vida de cada pessoa inclui um horizonte de acontecimentos que se estende perpetuamente além de nossa visão: a gonorreia de uma anciã está conectada a sua culpa que está conectada ao seu casamento que está conectada aos seus filhos que estão conectados aos seus próprios dias de menina…
Empatia vem do grego “em” + “pathos” (sentimento), ou seja, é um penetrar, uma jornada.
Entrar em outra pessoa é como visitar em um país estrangeiro: temos que passar pela imigração e pela alfândega, caminhando com cuidado, de pergunta em pergunta, de sentimento em sentimento.
Empatia é tentar entrar em outra pessoa, nesse país estrangeiro, mas sempre reconhecendo que jamais, jamais conheceremos realmente essa pessoa, que nunca seremos cidadãs desse país.
(As observações dessa subseção vêm de Leslie Jamison, em The Empathy Exams, 2014.)

Trecho tirado do post do Alex Castro do blog Papo de Homem, para ler o texto na integra, clique aqui.

Beijos Profundos

Olivia

170963_10150135324248179_5869387_o

Standard
LookDoDia

Brown Poá

Carnaval passou, ano começou, mas meu corre gostoso continua com tudo! Mil planos, mil sonhos…delicia viver sentindo a vida pulsar assim. Look dessa semana, usei ontem, amei e dei um jeito de fotografar para mostrar aqui. Sempre acho arriscado cobinar a cor marrom, mas dessa vez gostei. Confiram.

poamarrom (6)

poamarrom (7)

poamarrom (1)

poamarrom (3)

poamarrom (5)

poamarrom (4)

poamarrom (2)

Saia: Forever21| Camisa: Ann Taylor| Sandália: Guess| Bolsa: Hermes| Tiara: Forever21

Beijos perfumaados

Olivia

Standard
MODA, Parcerias de peso

KARL LAGERFELD TAKES RIACHUELO

Karl-Lagerfeld-Riachuelo-1024x1024-768x768

Primeiro semestre de 2016 promete agitar os fãs de Karl, o incansável e surpreendente criador. Desta vez Karl se juntou a Riachuelo e criou uma coleção com 75 peças femininas para a fast fashion, entre roupas e acessórios que chegam a 143 lojas da Riachuelo já em abril. “O Brasil é divertido, cheio de energia e um país do future”, ele disse ao WWD ao mesmo tempo que sabe sobre as altas taxas de importação sobre produtos de luxo. “O país pode se abrir para o mundo. Ele tem muito o que oferecer”. Entre tantos acessórios, que devem vender como água, há carteiras, bolsas e clutches com desenhos da Choupette, a gata celebridade de Karl. Os preços da coleção vão de R$ 50 a R$ 400.

RIACHUELO-11-01-16_0036-copy

Eu quero. Já vou entrar na fila rsrsrs

RIACHUELO-11-01-16_0037

Beijos Perfumados

Olivia

Standard
LookDoDia

La Vie En Rouge

Sabe aqueles dias em que sua produção parece faltar alguma coisa? Pois então, uma dica infalível para os tais dias é o lenço. O lenço além de versátil e funcionar como uma terceira peça, ele é prático e traz uma elegância discreta e bonita. Eu gosto muito de lenços, principalmente para viajar. Nesse dia foi assim, apesar do vermelho ser uma cor arrebatadora e sexy, eu achei que faltava um toque a mais na produ e acabei investindo num lenço e amei o resultado. Confiram.

redelenço

redelenço-3

redelenço-7

redelenço-5

redelenço-4

redelenço-2

redelenço-6

redelenço-9

redelenço-8

Saia: BCBG| Camisa: Calvin Klein|Lenço: FARM|Bolsa: YSL| Sandália: Vizzano

Beijos Perfumados

Olivia

Standard