Refletindo

Não busque longe o que está perto

Mosquito: O mosquito é o inseto que mais frequentemente entra em duelo com o humano. Qualquer um de nós já se viu um dia, de pijama e de pé em cima da cama, com o chinelo na mão e o olho pregado do teto imaculado.

Incompreensão. O que faz coçar é apenas a saliva desinfetante do seu ferrão. Sem essa saliva, qualquer picada poderia infeccionar. E além de tudo o mosquito toma sempre precaução de só picar entre dois pontos de recepção da dor! Com relação ao homem, a estratégia do mosquito evoluiu. Aprendeu a ficar mais rápido, mais discreto, mais ágil para decolar. Ficou cada vez mais difícil localizá-lo. Alguns mais ousados, de última geração, simplesmente se escondem debaixo do travesseiro da vítima. Descobrimos o princípio da “carta roubada” de Edgar Allan Poe: o melhor esconderijo é aquele que salta aos olhos, pois a gente sempre quer ir buscar longe o que se encontra bem perto.

Edmond Wells, Enciclopédia dos saberes relativo e absoluto.

 

Fonte: O Império das Formigas- Volume 1 (As Formigas)_Bernard Werber_ Editora Bertrand Brasil, 2008; pág.219-220

Standard

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s